Grãos

Como o El Niño pode afetar a produção de grãos no Brasil

PDF

Para ler mais conteúdo de nutriNews Brasil 1º Trimestre 2024

Opinião do Especialista – Felippe Reis

Crop analyst na EarthDaily Agro

No Centro-Oeste, o fenômeno El Niño trouxe para a safra 2023/24 ano mais quente e seco dos últimos 30 anos, as altas temperaturas registradas durante o ciclo da soja é característico do El Niño.

As condições climáticas adversas reduziram o potencial produtivo das lavouras e a produção está estimada abaixo de 150 milhões de toneladas. No entanto, o aumento de área destinada à soja irá mitigar os efeitos climáticos.

milho-el-ninoPara o milho o El Niño deve ter um impacto menor, tendo em vista que o fenômeno vem perdendo força desde o fim de 2023 e a produção do cereal se concentra na segunda safra, quando cerca de 75% do milho é produzido.

nuproxa esp

Apesar disso, os efeitos do El Niño sobre a safra de verão devem ser levados em conta. O fenômeno resultou em fortes chuvas no Sul do país, o que prejudicou o início do ciclo do milho.

A produção de milho de verão no Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Paraná, devem apresentar uma quebra de safra variando de 4% a 8%, a depender da região.

Para o milho de segunda safra o El Niño não deve causar impactos significativos e as condições climáticas estarão associadas à outros fatores.

Há possibilidade de registrarmos o fenômeno La Niña ativo, porém isso está previsto para o início do segundo semestre, quando boa parte do milho de segunda safra já estará colhida, principalmente neste ano, cujo plantio está adiantado.

 

el-nino-climaApesar dos desafios climáticos enfrentado pelo Brasil durante a produção de soja e milho a Argentina deve produzir um bom volume destes grãos em 2024, o que colaborará para que não haja uma alta exacerbada dos preços.

banner basf
agriCalendar
BANNER de LALLEMAND
biozyme robapagina

Nosso país vizinho deve produzir mais de 53,5 MT de soja e mais de 56 MT de milho, aumento de 114% e 61%, respectivamente. Ainda não podemos descartar novas alterações nas estimativas, já que a Argentina possui um ciclo um pouco diferente do Brasil.

  • O USDA está estimando atualmente uma produção recorde de soja (cerca de 398,2 milhões de toneladas), apesar da produtividade baixa do Brasil, maior produtor mundial de soja.

Ainda é muito cedo para cravar uma produção mundial de soja acima ou perto dos 400 MT, mas a princípio consideramos que a produção da oleaginosa deve ser maior do que em 2023.

Figura 1. Precipitação acumulada e soma das temperaturas.

Fonte: EarthDaily Agro

Figura 2. Precipitação acumulada no Sul do Brasil.

Fonte: EarthDaily Agro

BANNER de LALLEMAND
nuproxa esp
Nuproxa 07-2023
biozyme robapagina

SE UNA A NOSSA COMUNIDADE NUTRICIONAL

Acesso a artigos em PDF
Mantenha-se atualizado com nossas newsletters
Receba a revista gratuitamente em versão digital

DESCUBRA
AgriFM - O podcast do sector pecuário em espanhol
agriCalendar - O calendário de eventos do mundo agropecuárioagriCalendar
agrinewsCampus - Cursos de formação para o setor pecuário.