Tendência

Estresse térmico na avicultura: alternativas naturais para minimizá-lo

PDF

Para ler mais conteúdo de nutriNews Brasil 4 Trimestre 2021

Banner Pancosma abaixo artigo principal nutriBR


As aves são animais homeotérmicos que mantêm a temperatura corporal ao longo do ano; no entanto, os mecanismos termorreguladores são eficientes apenas em zonas termoneutras (faixa de temperatura ambiental dentro da qual a ave é capaz de manter sua temperatura corporal sem aumentar sua taxa metabólica basal).
A zona termoneutra para aves pode variar aproximadamente de 21 a 37°C, a depender de fatores como:
Estresse térmico na avicultura
O calor no corpo das aves pode ser gerado em função do próprio metabolismo (e.g. glicólise, ciclo do ácido tricaboxílico, via das pentoses fosfato) e de atividade muscular. As concentrações de enzimas, vitaminas e hormônios, atividades físicas, consumo de oxigênio, temperatura e umidade do ambiente e os ciclos circadianos também afetam a quantidade de produção de calor no corpo das aves.
Quando as aves se encontram acima da zona termoneutra, a depender da intensidade e duração da temperatura elevada, os animais buscam o aumento da dissipação de calor para manter a homeostase térmica.
Os mecanismos de perda de calor podem ser comportamentais como:
Estresse térmico na avicultura
Deitar-se para manter o peito em contato com o chão, e assim aumentar a superfície de contato para perda de calor por condução,
Estresse térmico na avicultura

Aumentar a frequência respiratória de forma ofegante com o bico aberto para perda de calor por evaporação

Pode aumentar a ingestão de água, e

Estresse térmico na aviculturaAbrir as asas para perda de calor por convecção.

A depender da severidade do estresse calórico, a ave recorre a mecanismos fisiológicos específicos, que pode levar ao aumento do pH e cortisol séricos, até interrupção de expressão gênica e gerar a presença de proteína de choque térmico.
 Estima-se que uma ave pode perder cerca de 540 kcal de energia para cada 1 ml de água evaporada.
Estresse térmico na aviculturaA depender do mecanismo adotado, a energia corporal é despendida para realização de algumas dessas funções, e pode alterar a retenção de proteína e gordura corporal, e o crescimento, o desenvolvimento e o desempenho desses animais podem ser prejudicados nessas condições de desconforto térmico, podendo levar a perdas econômicas consideráveis na atividade de criação.
Além disso, a depender do nível de estresse calórico, também pode ocorrer o comprometimento do status imunológico do animal, facilitando o acometimento de infecções por agentes patogênicos, causar danos oxidativos e levar a imbalanço ácido-básico, tornando os animais mais susceptíveis a doenças.
Um estudo avaliando os efeitos do aumento de 5°C na temperatura ambiente (dos 30 para os 35°C) sobre o consumo de ração e ganho de peso de aves, constatou redução em ambos os parâmetros em mais de 16%. Em outro estudo, a exposição ao estresse por calor por 50 minutos foi capaz de desencadear mudanças de resposta termorregulatória em frangos, tais como hipertermia.

De forma a amenizar parte desses problemas, a avicultura moderna adota o uso de alguns equipamentos já bem explorados a campo, como por exemplo, os ventiladores, aspersores, nebulizadores, atomizadores e exaustores, buscando adequar o ambiente para máxima eficiência produtiva no decorrer das fases de criação.
Além desses equipamentos e de todo manejo para propiciar melhor ambiência aos animais, a suplementação de vitaminas, minerais, antioxidantes, betaína, e o emprego de outras tecnologias vem sendo explorada, como por exemplo, o uso de aditivos fitogênicos e suplementos herbais.

Os aditivos fitogênicos são comumente definidos como compostos vegetais secundários e seus metabólitos com efeitos benéficos sobre a saúde e a produção animal.
Estresse térmico na aviculturaO uso de aditivos fitogênicos é considerado mais recente comparado a outros aditivos alternativos como os prebióticos, probióticos e os ácidos orgânicos e, por consequência, os exatos modos de ação ainda não são completamente compreendidos.
Estresse térmico na aviculturaEntre os compostos fitogênicos, os óleos essenciais são os mais explorados, e determinados óleos possuem algumas propriedades de interesse para avicultura por serem bactericidas, antifúngicos, anti-inflamatórios e antioxidantes.
Apesar do desconhecimento dos exatos mecanismos de ação, alguns desses efeitos são atribuídos a determinadas substâncias presentes em suas composições químicas, que ajudam a minimizar os efeitos deletérios causados pelo estresse calórico.
Determinadas classificações dos compostos fitogênicos destacam como os principais grupos aqueles que possuem:
Estresse térmico na aviculturataninos,
Estresse térmico na aviculturasaponinas e
Estresse térmico na aviculturapolifenóis.

BANNER Tabelas Brasil
Vetanco
SINPET 0722
perstorp-pt
agriNews FM pt
Vetanco
Alltech rp
zinpro robapaginas
MAIS SOBRE Tendência

ESCUTE A REVISTA EM agriFM

agriFM

SE UNA A NOSSA COMUNIDADE NUTRICIONAL

Acesso a artigos em PDF
Mantenha-se atualizado com nossas newsletters
Receba a revista gratuitamente em versão digital

DESCUBRA
AgriFM - O podcast do sector pecuário em espanhol
agriCalendar - O calendário de eventos do mundo agropecuárioagriCalendar
agrinewsCampus - Cursos de formação para o setor pecuário.