22 Aug 2022

Avaliação dos ácidos L-glutâmico e N,N-diacético como aditivos para frangos

Tolerância e avaliação de segurança dos ácidos L-glutâmico e N,N-diacético como aditivo alimentar em dietas de frangos de corte Os […]

Avaliação dos ácidos L-glutâmico e N,N-diacético como aditivos para frangos

Tolerância e avaliação de segurança dos ácidos L-glutâmico e N,N-diacético como aditivo alimentar em dietas de frangos de corte

Os minerais, nutrientes vitais para garantir a saúde humana e animal, podem ser absorvidos por qualquer segmento do trato gastrointestinal. Porém, são absorvidos principalmente no intestino delgado. Muitos fatores podem influenciar a absorção de minerais entre os quais: antagonistas dietéticos e níveis alimentares de outros minerais.

aditivo-zincoEm sistemas de produção animal, o zinco (Zn) é frequentemente suplementado acima dos requisitos (120 ppm vs 40 ppm) para compensar a incerteza na biodisponibilidade. Esta prática resulta em baixa eficiência relativa da utilização de Zn. Além disso, a maior excreção de Zn no ambiente contribui para a poluição ambiental.

Quelatos são compostos por moléculas com alta afinidade para ligar elementos residuais e mantê-los em solução. Durante a digestão, a formação desse complexo estável minimiza a formação de complexos insolúveis, resultando na preservação da biodisponibilidade nutricional.

Nucleovet 062022 Yes

aditivo-gldaOs minerais quelatados como o ácido L-glutâmico e o ácido N,N-diacético (GLDA) mostraram aumentar a disponibilidade nutricional de Zn em frangos de corte. Assim, o objetivo deste estudo foi estudar a tolerância alimentar, o potencial de bioacumulação e avaliar a segurança do GLDA quando suplementado em dietas de frango em 0, 100, 300, 1000, 3.000 e 10.000 mg/kg. Foram utilizados 480 frangos de corte.

Os animais foram distribuídos aleatoriamente em 48 unidade experimentais e a alimentados com uma das seis dietas avaliadas. A tolerância ao aditivo foi avaliada por meio do acompanhamento do desempenho das aves durante o ensaio.

glda-para-frangos

Yes
ABvista
BANNER Tabelas Brasil
Vetanco

A inclusão de 300 mg/kg resultou em aumento no peso corporal das aves. No entanto, no nível de 10.000 mg/kg de GLDA houve menor ganho de peso. O aditivo foi adicionado como um sal tetra-sódio, levando a níveis de sódio 2,5 vezes maiores no último tratamento em comparação a dieta de controle.

Esse aumento pode ter criado uma barreira intestinal e, assim reduzido a absorção pela parede do intestino, refletindo no menor peso das aves. Não houve diferença para o número de animais mortos.

Os níveis de resíduos de GLDA no maior nível de inclusão indicam que 0,0005% do consumo total de GLDA é acumulado no tecido do peito. No maior nível de inclusão de minerais quelatados observou-se valor elevado de GLDA no rim e fígado.

glda-frango-de-corteIsso indica que a pequena fração de GLDA absorvida foi prontamente excretada pelo animal. Com 100 e 300 mg/kg de inclusão do GLDA, havia quantidades insignificantes de GLDA presentes em todos os tecidos avaliados.

Assim, a presente pesquisa demonstrou que há alta tolerância dietética ao GLDA em frangos de corte e indicou que o GLDA não representa risco significativo para a segurança alimentar quando suplementado abaixo de 3.000 mg/kg.

Por: Boerboom, G. et al. (2021)

Vetanco
perstorp-pt
agriNews FM pt
Banner Evento ESG Simposio Leite Integral
Relacionado com Aditivos
Banner Evento ESG Simposio Leite Integral
Itpsa nutri br 0722
zinpro robapaginas
agriNews FM pt

REVISTA NUTRINEWS BRASIL

Assine agora a revista técnica de nutrição animal

SE UNA A NOSSA COMUNIDADE NUTRICIONAL

Acesso a artigos em PDF
Mantenha-se atualizado com nossas newsletters
Receba a revista gratuitamente em versão digital

DESCUBRA
AgriFM - O podcast do sector pecuário em espanhol
agriCalendar - O calendário de eventos do mundo agropecuárioagriCalendar
agrinewsCampus - Cursos de formação para o setor pecuário.