17 Mar 2021

Impacto do ômega 3 no consumo de ração de trutas arco-íris

Na truta arco-íris, o conteúdo de ácidos graxos poliinsaturados n-3 (ou Ω 3) na ração afeta a composição lipídica do […]

Na truta arco-íris, o conteúdo de ácidos graxos poliinsaturados n-3 (ou Ω 3) na ração afeta a composição lipídica do cérebro e desempenha um papel na regulação da ingestão de alimentos.

 

Para preservar os recursos marinhos e permitir o desenvolvimento sustentável da aquicultura, a tendência dos últimos anos tem sido a substituição da farinha e do óleo de peixe nas dietas, por matérias-primas vegetais de maior disponibilidade e menos onerosas. No entanto, sua composição de ácidos graxos é muito diferente.

A farinha e os óleos de peixe são ricos em ácidos graxos poliinsaturados n-3 -PUFA Ω 3: EPA (ácido eicosapentaenóico, 20: 5 Ω 3) e DHA – ácido  docosahexaenóico, 22: 6 Ω. Portanto, as dietas nas quais as fontes vegetais substituem os óleos e as farinhas de peixe resultam em uma diminuição no conteúdo de EPA e DHA nos tecidos dos peixes.

zinpro robapaginas Nucleovet 062022

Eles também levam a uma diminuição na quantidade de ração ingerida e na eficiência alimentar. Pensando nisso, pesquisadores levantaram a hipótese de que a ausência de certos lipídios, particularmente, os Ω 3 PUFAs de cadeia longa (EPA e DHA) na dieta, poderia modificar a composição de ácidos graxos do cérebro e alterar o comportamento alimentar através do sistema nervoso central, responsável pela regulação da ingesta de alimentos.

O objetivo deste trabalho foi caracterizar a composição de ácidos graxos do cérebro (incluindo os metabólitos de ácidos graxos oxidados enzimaticamente e não enzimaticamente por estresse oxidativo) e estudar RNAs mensageiros (RNAm), testemunhas da expressão de genes envolvidos na regulação de ingestão de alimentos pelo sistema nervoso central.

Alltech rp
perstorp-pt
agriNews FM pt
SIAVS
As análises foram realizadas em truta arco-íris alimentadas por nove semanas com três dietas experimentais a base de plantas contendo diferentes níveis de EPA e DHA:

Os níveis de ácidos graxos no cérebro variam dependendo da dieta

Trutas alimentadas com dieta que não contém DHA e EPA apresentaram conteúdo cerebral reduzido de ω-3 PUFAs totais, com diminuição de EPA e DHA. Os metabólitos selecionados da oxidação enzimática (ciclooxigenases e lipoxigenases) do ácido araquidônico (ácido graxo Ω 6), conhecido por ter papéis pró-inflamatórios, diminuem em dietas de médio e alto ω-3 PUFAs. Por outro lado, os níveis de metabólitos oxidativos enzimáticos de DHA e EPA- antiinflamatórios – são maiores com a dieta com alto teor de EPA e DHA.

Os níveis totais de metabólitos oxidativos não enzimáticos do DHA analisados, conhecidos por seus efeitos benéficos à saúde e servindo como mediadores homeostáticos na manutenção das funções fisiológicas de mamíferos, são maiores com as dietas de médio e alto teor de PUFA Ω 3.

 

A ação de Ω 3 nas funções cerebrais causa mudanças no nível de ingestão

A ingestão diária de alimentos é menor em dietas contendo altos níveis de Ω 3 PUFAs, mas a eficiência alimentar é melhor.

Com esse regime a expressão no hipotálamo do mRNA do peptídeo npy é maior. No entanto, este peptídeo é conhecido por ser estimulante de apetite (orexígeno). Por outro lado, observa-se uma expressão mais fraca do mRNA do peptídeo pomcA, que é anorexígeno. Esses resultados, portanto, mostram uma correlação inversa entre a ingestão de alimentos e a expressão de neuropeptídeos. Isso poderia ser explicado pelo fato de que, dada a curta duração do período de alimentação neste experimento, os Ω 3 PUFAs levariam a uma saciedade rápida na truta, mas que seria seguida por uma sensação de fome.

Em conclusão, este trabalho revelou pela primeira vez, em peixes, a presença de alguns metabólitos de oxidação enzimáticos e não enzimáticos selecionados no cérebro e a modulação do conteúdo de lipídios cerebrais pelos níveis de DHA e EPA na dieta.

Esses primeiros resultados, que são importantes para a compreensão dos mecanismos de regulação da ingestão alimentar em trutas arco-íris alimentadas com uma dieta 100% vegetal, irão, em última instância, melhorar a formulação de rações para aquicultura para maximizar o desenvolvimento, crescimento, taxa de sobrevivência, reprodução e estado de saúde dos peixes.

 

Fonte: 2021 Roy; C. Vigor; J. Vercauteren; G. Reversat; B.Q Zhou; A. Surget; L. Larroquet; A. Lanuque; F. Sandres, F; F. Terrier; C. Oger; J.M. Galano; G. Corraze; T. Durand. 2020. Characterization and modulation of brain lipids content of rainbow trout fed with 100% plant based diet rich in omega-3 long chain polyunsaturated fatty acids DHA and EPA. Biochimie. 

Disponível  aqui 

zinpro robapaginas
SIAVS
Vetanco
Alltech rp
Relacionado com Nutrição Animal
SIAVS
agriNews FM pt
ABvista
BANNER Tabelas Brasil

REVISTA NUTRINEWS BRASIL

Suscribete ahora a la revista técnica de nutrición animal

SE UNA A NOSSA COMUNIDADE NUTRICIONAL

Acesso a artigos em PDF
Mantenha-se atualizado com nossas newsletters
Receba a revista gratuitamente em versão digital

DESCUBRA
AgriFM - O podcast do sector pecuário em espanhol
agriCalendar - O calendário de eventos do mundo agropecuárioagriCalendar
agrinewsCampus - Cursos de formação para o setor pecuário.