20 Jan 2021

Entenda as vantagens de alimentar vacas leiteiras com silagem de milho reidratado

A silagem de milho reidratada serve como uma tecnologia de conservação de grão de milho moído. O aumento da digestibilidade do milho, que ocorre durante o processo, permite a mesma produção de leite com o custo alimentar mais baixo. Quer saber quais são os outros benefícios dessa técnica?

Entenda as vantagens de alimentar vacas leiteiras com silagem de milho reidratado

 

O grão de milho é o principal cereal energético utilizado em dietas para vacas leiteiras no Brasil. Entretanto, o milho cultivado em território nacional possui o endosperma duro (vítreo), o que dificulta a digestão por parte do rebanho. Como alternativa para resolver isso, a hidratação e a ensilagem do grão de milho maduro pode facilitar a digestão do ingrediente.

A Secretaria de Estado da Agricultura, Pecuária e Abastecimento  de Minas Gerais (Seapa), em conjunto a Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais (Epamig) e com o professor da Universidade Federal de Lavras (UFLA), Marcos Neves Pereiras, realizam uma série de estudos para viabilizar formas mais nutritivas e econômicas de processar e armazenar o milho nas fazendas.
A silagem de milho reidratada serve como uma tecnologia de conservação de grão moído, por meio da silagem, para ser utilizado em dieta para vacas leiteiras.
Segundo a pesquisadora da Epamig Renata Apocalypse, a silagem de milho reidratado é uma forma barata de armazenamento do produtor. “O produtor pode comprar milho quando o preço do cereal estiver mais baixo. Além disso, a estocagem do material nas fazendas dispensa os altos custos com galpões e silos de terceiros e elimina as perdas por ataque de pragas, como carunchos”, afirma.
De acordo com estudos, a silagem de milho reidratado oferecida a animais especializados, como vacas holandesas geneticamente melhoradas para a produção de leite, mostram eficiência da dieta alimentar. O aumento da digestibilidade do milho, que ocorre durante o processo, permite a mesma produção de leite com o custo alimentar mais baixo.
“A adoção da silagem de milho reidratado em regiões brasileiras produtoras de milho é ainda mais fácil, pois não está presa à janela estreita de colheita, que é o caso da silagem do milho úmido, alimento similar. Ela pode ser realizada em qualquer época, mas preferencialmente quando o preço do milho está vantajoso. Basta deixar o milho secar completamente para só depois colher, reidratar e ensilar. Não tem erro”, indica Renata Apocalypse.
Sobre as vantagens do uso da silagem de milho reidratado, o produtor de leite e professor do Instituto Federal do Sul de Minas, Gustavo Augusto de Andrade, afirma: “a técnica aumenta a eficiência de uso da mão de obra em propriedade, pois é possível concentrar a moagem do milho em apenas um dia, ao passo que para usar o fubá, a moagem tem que ser diária. Além disso, a técnica potencializa os ganhos financeiros, uma vez que é possível armazenar o milho nas fazendas e obter ganhos na digestibilidade do amido por parte dos animais, o que reduz a necessidade de alimentos concentrados”.

Como fazer a silagem de milho reidratado?


A Epamig disponibiliza para download gratuito uma Circular Técnica com o passo a passo para fazer silagem de milho reidratado. No material, o produtor pode conferir dicas que vão desde a construção de silos até o armazenamento da silagem.
As dimensões dos silos e os equipamentos necessários para a moagem do milho vão depender da quantidade do material utilizado diariamente nas fazendas. Quanto mais fino o grão de amido, maior será a digestibilidade no rúmen. Por isso, é recomendada a moagem mais fina possível. Porém, em casos de grandes quantidades de milho a ser moído, como nas grandes fazendas, é indicada a moagem um pouco mais grossa, contanto que o produtor deixe a silagem armazenada por mais tempo.
A quantidade de água necessária para reidratação do milho é cerca de 35 litros para cada 100 quilos de milho moído. Ademais, a utilização de inoculantes auxilia na qualidade da silagem, pois melhora o processo de fermentativo e reduz a perda de alimento no processo da ensilagem.
O tempo recomendado de silagem é indefinido, ditado mais pelo estoque de alimento que o produtor pode oferecer para os animais. O silo pode ser aberto com duas semanas, mas os melhores resultados de fermentação se dão após 8 meses. Os cuidados para que não ocorra entrada de ar ou de água na massa ensilada são os mesmos adotados em outras silagens. Durante o abastecimento, as fatias deverão ser retiradas de maneira uniforme ao longo de toda a face do silo.

Fonte: Canal Rural

Yes
Nucleovet 062022
Vetanco
Itpsa nutri br 0722
Relacionado com Nutrição Animal
ABvista
Alltech rp
Banner Evento ESG Simposio Leite Integral
BANNER Tabelas Brasil

REVISTA NUTRINEWS BRASIL

Assine agora a revista técnica de nutrição animal

SE UNA A NOSSA COMUNIDADE NUTRICIONAL

Acesso a artigos em PDF
Mantenha-se atualizado com nossas newsletters
Receba a revista gratuitamente em versão digital

DESCUBRA
AgriFM - O podcast do sector pecuário em espanhol
agriCalendar - O calendário de eventos do mundo agropecuárioagriCalendar
agrinewsCampus - Cursos de formação para o setor pecuário.