09 Feb 2022

USDA confirmou a presença de Influenza Aviária em rebanho comercial de perus

O Serviço de Inspeção de Saúde Animal e Vegetal (APHIS) do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA ) confirmou a presença de Influenza Aviária Altamente Patogênica em um rebanho comercial de perus no condado de Dubois, em Indiana.


Este é o primeiro caso confirmado de Influenza Aviária de Alta Patogenicidade em aves comerciais nos Estados Unidos desde 2020.
Amostras do rebanho afetado, que apresentou aumento da mortalidade, foram testadas no Indiana Animal Disease Diagnostic Laboratory, da Purdue University, parte da National Animal Health Laboratory Network. O caso foi confirmado no APHIS National Veterinary Services Laboratories, em Ames, Iowa, e o isolamento do vírus está em andamento.
Em nota o APHIS afirma estar trabalhando em estreita colaboração com o Conselho de Saúde Animal de Indiana para uma resposta conjunta ao incidente. Funcionários do estado colocaram as instalações afetadas em quarentena e as aves da propriedade foram despovoadas, para evitar a propagação da doença.
“Como parte dos planos de resposta à Influenza Aviária, os parceiros federais e estaduais estão trabalhando em conjunto na vigilância e testes adicionais na área próxima”, informa a nota.
O APHIS reforça ainda que os Estados Unidos têm o programa de vigilância de Influenza Aviária mais forte do mundo e o USDA está trabalhando com seus parceiros para procurar ativamente a doença em operações comerciais de aves, mercados de aves vivas e em populações de aves selvagens migratórias.

“Qualquer pessoa envolvida com a produção avícola do pequeno quintal ao grande produtor comercial deve rever suas atividades de biossegurança para garantir a saúde de suas aves”, alerta o órgão.

O USDA notificará o caso à Organização Mundial de Saúde Animal, bem como aos seus parceiros comerciais internacionais. O USDA também continua a se comunicar com parceiros comerciais para incentivar a adesão aos padrões da Organização Mundial de Saúde Animal e minimizar os impactos comerciais.
As diretrizes comerciais da Organização Mundial de Saúde Animal pedem aos países para que baseiem as restrições comerciais em ciência sólida e, sempre que possível, limitem as restrições a animais e produtos animais dentro de uma região definida que representem risco de propagação de doenças preocupantes.
 
A Influenza Aviária (IA) é causada por um vírus influenza tipo A, que pode infectar aves domésticas (como galinhas, perus, faisões, codornas, patos domésticos, gansos e pintadas) e é transmitida por aves aquáticas em vôo livre, como patos, gansos e aves limícolas.
Os vírus IA são classificados por uma combinação de dois grupos de proteínas: hemaglutinina ou proteínas “H”, das quais existem 16 (H1–H16), e neuraminidase ou proteínas “N”, das quais existem 9 (N1–N9). Muitas combinações diferentes de proteínas “H” e “N” são possíveis.
Os vírus da IA ​​são ainda classificados por sua patogenicidade (baixa ou alta) – a capacidade de uma determinada cepa de vírus de produzir doenças em aves domésticas.
De acordo com a note, a IA não representa um problema imediato de saúde pública. Nenhum caso humano desses vírus da gripe aviária foi detectado nos Estados Unidos. Como lembrete, o manuseio e cozimento adequados de aves e ovos a uma temperatura interna em torno de 75˚C mata bactérias e vírus.
 

 

Vetanco Nucleovet 062022
perstorp-pt
ABvista
agriNews FM pt
Itpsa nutri br 0722
Relacionado con Controle sanitário
Últimos posts sobre rumiantes Controle sanitário
Alltech rp
Vetanco
Banner Evento ESG Simposio Leite Integral
zinpro robapaginas

REVISTA NUTRINEWS BRASIL

Assine agora a revista técnica de nutrição animal

SE UNA A NOSSA COMUNIDADE NUTRICIONAL

Acesso a artigos em PDF
Mantenha-se atualizado com nossas newsletters
Receba a revista gratuitamente em versão digital

DESCUBRA
AgriFM - O podcast do sector pecuário em espanhol
agriCalendar - O calendário de eventos do mundo agropecuárioagriCalendar
agrinewsCampus - Cursos de formação para o setor pecuário.