Banner Pancosma abaixo artigo principal nutriBR
09 Mar 2022

Fluxo do comércio de grãos em meio ao conflito Rússia-Ucrânia

Como o mercado mundial de grãos foi afetado pelo conflito entre Rússia e Ucrânia ?

O conflito entre Rússia e Ucrânia interrompeu o fluxo de grãos da região e causou grande incerteza no comércio global de grãos.

A Ucrânia suspendeu as operações portuárias para atividades comerciais desde 24 de fevereiro. O movimento de grãos russo através do Mar Negro também é afetado por prêmios de seguro excepcionalmente altos para navios.
Além disso, as sanções aplicadas tornam as transações comerciais desafiadoras. Em resposta, os preços dos grãos dispararam para todos os principais exportadores. A previsão deste mês representa uma avaliação inicial dos impactos de curto prazo decorrentes dessa ação.
Trigo, milho e cevada são os principais grãos fornecidos pela Ucrânia e pela Rússia.

Trigo
A Ucrânia responde por 10% e a Rússia por 16% das exportações globais de trigo no ano comercial 2021/22, que começou em julho. A maioria das exportações da Ucrânia são embarcadas nos primeiros meses da campanha de comercialização, mas o fechamento dos portos está limitando as exportações adicionais.
A Rússia já estava tributando as exportações e implementou uma cota de exportação em 15 de fevereiro. Além das fortes exportações da União Europeia, Índia e Austrália devem aumentar as exportações para níveis recordes, já que ambos têm safras recordes e preços competitivos. Enquanto isso, o comércio global segue ajustado ligeiramente mais baixo este mês, uma vez que os preços do trigo acentuadamente mais altos estão reduzindo a demanda com menos importadores e adiando as compras e contando com os estoques existentes.
A produção global de trigo aumentou este mês principalmente em uma previsão de safra maior para a Austrália. Já o consumo global foi reduzido.  Está prevista uma diminuição no comércio global para este mês com a redução nas exportações da Ucrânia e da Rússia devido ao conflito em andamento.
Os estoques finais foram elevados este mês, uma vez que as exportações reduzidas da Rússia e da Ucrânia devem resultar em uma maior entrega. O preço agrícola médio da temporada dos EUA subiu 20 centavos, para US$ 7,50 por bushel.

Milho
enzimas desramificadorasA Ucrânia e a Rússia juntas respondem por cerca de 16% das exportações de milho para o mundo. Este mês, as exportações para a Ucrânia estão previstas mais baixas, refletindo o fechamento de portos no Mar Negro desde o início da invasão da Rússia.
As exportações de milho da Rússia permanecem inalteradas com a suposição de que o milho será enviado para os principais mercados. As exportações de milho dos EUA são impulsionadas, compensando parcialmente a redução para a Ucrânia. Novos suprimentos agrícolas do Brasil e da Argentina devem chegar ao mercado em alguns meses e ambas as previsões de exportação são levantadas este mês.
A produção global de milho aumentou em relação ao mês passado, com safras maiores na Índia e na Rússia mais do que compensando safras menores na Argentina e na África do Sul. O comércio global é menor do que no mês passado, pois um forte corte nas exportações da Ucrânia, após a suspensão das operações portuárias para atividades comerciais, é apenas parcialmente compensado por maiores exportações da Argentina, Brasil e Estados Unidos. Também refletindo a interrupção comercial do Mar Negro, as importações globais caíram em países do Oriente Médio e Norte da África. O preço agrícola médio da temporada dos EUA subiu 20 centavos, para US$ 5,65 por bushel.

Desde o WASDE de fevereiro, as ofertas dos quatro principais exportadores aumentaram acentuadamente. A ação militar em andamento na Ucrânia interrompeu as operações portuárias e a atividade comercial no Mar Negro, aumentando o nível de incerteza no mercado global de milho.
As ofertas ucranianas subiram US$ 56/t para US$ 340 como resultado, embora a nova demanda provavelmente seja limitada devido às circunstâncias. A nova safra de milho da América do Sul ainda está a vários meses de chegar ao mercado, e os meses críticos para o desenvolvimento da safra ainda estão por vir para a segunda safra fortemente exportada do Brasil (safrinha).
Juntamente com a demanda contínua da safra antiga, as ofertas argentinas subiram US$ 61/t para US$ 343 e as brasileiras subiram US$ 52/t para US$ 349. Ecoando essas preocupações globais, os lances dos EUA subiram US$ 58/t para US$ 353.

Yes SIAVS

 

SINPET 0722
perstorp-pt
SIAVS
agriNews FM pt
SINPET 0722
BANNER Tabelas Brasil
Alltech rp
perstorp-pt
Relacionado com Grãos
Nucleovet 062022
Vetanco
ABvista
Alltech rp

REVISTA NUTRINEWS BRASIL

Assine agora a revista técnica de nutrição animal

SE UNA A NOSSA COMUNIDADE NUTRICIONAL

Acesso a artigos em PDF
Mantenha-se atualizado com nossas newsletters
Receba a revista gratuitamente em versão digital

DESCUBRA
AgriFM - O podcast do sector pecuário em espanhol
agriCalendar - O calendário de eventos do mundo agropecuárioagriCalendar
agrinewsCampus - Cursos de formação para o setor pecuário.